FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

 

#TOP6
BEM-VINDO
AO JURASSIC PARK!


FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

Em 1993, o diretor Steven Spielberg deu mais um passo na estrada da genialidade. Contando com efeitos visuais, até então, inéditos; uma obra riquíssima baseada em um livro de Michael Crichton ganhou vida, e por falar em ganhar vida, foi em Jurassic Park(mesmo nome do livro), que o grande público foi apresentado ao parque jurássico mais famoso do cinema.

Dinossauros estavam vivos, e bem na nossa frente!

É inegável o impacto cultural que a produção, que se tornou uma franquia nos anos seguintes, teve para a Sétima Arte. São personagens carismáticos, efeitos especiais vanguardistas, frases inesquecíveis e cenas memoráveis. Que juntas, semearam por gerações o conceito de um parque jurássico, desenvolvido por cientistas com base na cadeia de DNA de fósseis pré-históricos, a fim de criar dinossauros em laboratório.

É claro que este experimento dá muito certo(ao menos, a princípio), e nos mergulha em um mundo apaixonante, com momentos que transformam qualquer adulto em criança novamente, e qualquer criança, em um aspirante à paleontologia.

Hoje trouxemos um ranking com todas as produções de Jurassic Park, da pior à melhor; segundo a nossa opinião do Geek Resenhas. Também inserimos na lista, uma produção recente da franquia, feita direto para o streaming, mas que já deixou sua marca na história desses seres gigantescos!

 

JURASSIC WORLD:
REINO AMEAÇADO(2018)


De longe, a pior produção da franquia Jurassic Park.

Ao tirar os dinossauros da ilha que tanto marcou os telespectadores dos longas anteriores, o diretor Juan Antonio Bayona(O Impossível) não consegue criar aquela atmosfera de suspense que tanto cativou na franquia.

Tudo fica muito monótono e o roteiro não se ajuda, ao trazer um plot mais apressado que o outro. Temos leilão de dinossauros, uma menina “cobaia”, Chris Pratt com a mesma “cara de Chris Pratt” de todos os seus filmes, e dinossauros menos cativantes e que não inspiram uma real sensação de perigo, salvo a grande perseguição causada pelo estreante Indoraptor, com direito a entrada triunfal pelas janelas de uma luxuosa mansão.

O jeito é torcer para que a conclusão dessa nova trilogia eleve um pouco mais a qualidade vista no último projeto.

  

JURASSIC PARK 3(2001)


Muito criticado pelos fãs, mas que entrega ótimas cenas de ação durante todos os seus 96 minutos.

Jurassic Park 3 marcou a volta de Sam Neill e Laura Dern ao projeto que marcou suas carreiras em 1993. E assim como no primeiro exemplar, o casal(não mais casal) estão muito bem na trama, e são capazes de encerrar com dignidade esta primeira trilogia.

O espinossauro é um “vilão” a altura da franquia, e inspira grande senso de urgência. Os pterossauros também protagonizam momentos extremamente tensos como as cenas da ponte, e da caça ao corajoso Billy.

É ação do início ao fim, e senão fosse pelas atuações beirando ao ridículo de William Macy e Tea Leoni o filme poderia ter se tornado um novo clássico para a franquia. Mas como nem tudo são flores na vida, deixamos o posto de ”clássico” apenas para os três primeiros colocados deste ranking.

 

JURASSIC WORLD: MUNDO DOS DINOSSAUROS(2015)

FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

Renovando o conceito do Jurassic Park para uma nova geração, Jurassic World é um espetáculo visual. Se você quer se sentir lá dentro do parque, esta é a melhor opção.

O tempo fez aquilo que parecia impossível; tornar ainda mais real os dinossauros deste universo. E com direito a espécimes criados exclusivamente para esse filme, como o Indominus Rex(a mistura de diversas espécies de animais existentes e pré-históricos) e cenas épicas com o maravilhoso mosassauro; Jurassic World reacende a nossa vontade de assistir esta maravilhosa franquia e deixar a imaginação rolar vendo uma grande escapada de pterossauros, ou até mesmo curtindo um tranquilo passeio em uma girosfera, em meio a um rebanho de grandalhões jurássicos.


JURASSIC WORLD:
ACAMPAMENTO JURÁSSICO(2020)

FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

A exemplo de Homem Aranha no Aranhaverso, Acampamento Jurássico mostrou que uma simples animação pode se tornar algo tão marcante quanto um super blockbuster de Hollywood. E assim como no filme do herói aracnídeo, ser melhor do que outras produções do personagem que investiram mais, e pior.

Acampamento Jurássico, produzido pela Netflix, entrega oito episódios de muita diversão e emoção, com os jovens personagens Darius, Kenji, Brooklynn, Sammy, Ben e Jasmina, tentando sobreviver em meio a um ataque de dois poderosos dinossauros.

A hospedagem da turma no acampamento de Jurassic World renderá uma segunda temporada já anunciada, e promete explicar todas as perguntas deixadas em aberto no primeiro ano da trama.

Com o desenvolvimento dos personagens e o companheirismo sendo os grandes focos, além de ótimas cenas de ação; a produção assinada pelos criadores da franquia Steven Spielberg e Frank Marshall, tem tudo para agradar tanto aos adultos, como(e principalmente) os mais novinhos.

 

JURASSIC PARK:
O MUNDO PERDIDO(1997)

FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

Tentando repetir o sucesso do antecessor, O Mundo Perdido teve uma missão terrivelmente ingrata e não conseguiu surtir o retorno esperado pelo público. Mesmo assim, a dobradinha Jeff Goldblum e Juliane Moore ficou tão carismática, que os personagens Ian Malcolm e Sarah Harding conseguiram entregar bons momentos juntos.

Claro que temos que falar da clássica cena do vidro do trailer se quebrando, e da variedade de dinossauros apresentada.

Desta vez o roteirista David Koepp não foi tão feliz como na primeira produção, e nem mesmo o retorno de Spielberg na direção conseguiu entregar uma obra prima. Porém, mesmo o “ok” de Steven é melhor do que o “excelente” de muitos outros por aí; e isso torna O Mundo Perdido um ótimo divertimento, se tornando o segundo melhor exemplar de toda a franquia.

 

JURASSIC PARK:
PARQUE DOS DINOSSAUROS(1993)

FRANQUIA JURASSIC WORLD: DO PIOR AO MELHOR

Sem dúvidas, o melhor não só da franquia, como um dos melhores longas do gênero de aventura/fantasia de todos os tempos.

A produção de 1993 contou com um orçamento de U$63 milhões de dólares, e rendeu mais de U$1 bilhão de dólares mundo afora, além de derivados no cinema, no streaming, videogames, brinquedos e tudo o que mais você possa imaginar. Um sucesso comercial e cultural incalculável.

Tudo isso embalado pela trilha sonora inesquecível do brilhante John Willians. A mente de Steven Spielberg entrega mais uma dádiva para sua filmografia da década de 90(assim como A Lista de Schindler e Resgate do Soldado Ryan) e nos mostra que clássicos não envelhecem. Que T-Rex foi aquele??!! Que apresentação de parque foi aquela??!! Enfim...ÉPICO!


O próximo derivado da franquia, Jurassic Park: Dominion, tem previsão de estreia para 2022, e contará com a reunião do elenco de ambas as gerações, tanto a trilogia original, com o retorno de Sam Neill e Laura Dern, como o entrosado casal dos dois últimos longas, Chris Pratt e Bryce Dallas Howard.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário