HARPER’S ISLAND: O MISTÉRIO DA ILHA(CRÍTICA)


#SESSÃORETRÔ
O REVIEW DA ILHA DE HARPER


HARPER’S ISLAND: O MISTÉRIO DA ILHA_geek_resenhas

Se você, assim como eu, passava as noites de sua adolescência zapeando pela programação da TV aberta em busca de filmes e séries para assistir, pode ter se deparado com um projeto que brilhou na telinha do SBT e chamou a atenção de muitos fãs dos gêneros de terror e suspense. Estou falando de “Harper’s Island”, ou como foi chamada aqui no Brasil em sua primeira exibição: “Harper’s Island: O Mistério da Ilha”.

Com um elenco repleto de rostinhos já conhecidos das séries americanas, o suspense se passava durante o casamento de Henry e Trudy. O casal havia escolhido a Ilha de Harper para selar seus votos de matrimônio, e resolveu convidar vários de seus colegas para festejar durante alguns dias no local.

Até aí tudo bem...(como diria Mabê, do Modus Operandi), entretanto alguns anos antes havia acontecido uma verdadeira carnificina na Ilha, onde um homem chamado John Wakefield havia feito uma série de assassinatos, incluindo o da mãe de Abby Mills, protagonista da trama.

Ignorando estes fatos, o grupo de amigos parte para a Ilha de Harper, a fim de comemorar a união de Henry e Trish, mas logo cada um deles descobrirá da pior forma, que uma nova onda de crimes se aproxima, e absolutamente todos são suspeitos!


HARPER’S ISLAND: O MISTÉRIO DA ILHA_geek_resenhas

Com um clima de mistério constante no ar, O Mistério da Ilha cativou o público que deu uma oportunidade ao projeto. A produção não é uma daquelas que “viralizou” como outros projetos semelhantes, mas se tornou um marco para uma geração que já se sentia órfã de projetos tão bem construídos e que combinavam mortes muito bem elaboradas, e uma trama que a cada episódio nos surpreendia e mudava nossas suspeitas de quem seria o culpado por trás de tudo.

A protagonista Abby Mills pode se mostrar um tanto quanto apática nos primeiros episódios, mas a medida que o roteiro é desenvolvido, Elaine Cassidy entrega uma ótima atuação, e faz os telespectadores torcerem por Abby, tanto por sua sobrevivência, quando por seu relacionamento com Jimmy(C.J. Thomason).

O pai de Abby é o Xerife Mills, interpretado pelo maravilhoso Jim Beaver, o Bob de Supernatural. E por falar em Supernatural, Katie Cassidy, que viveu a demônio Ruby no show, aqui dá vida à noiva Trish.

Ainda temos que destacar as participações pontuais de Christopher Gorham e Cameron Richardson vivendo Henry e Chloe, respectivamente.
A paisagem da cidade de Vancouver, somadas à fotografia de paleta mais fria escolhida por Robert McLachlan, trouxeram à Ilha de Harper um tom ainda mais depressivo e de isolamento, como se a própria ilha fosse um dos próprios personagens do show.

HARPER’S ISLAND: O MISTÉRIO DA ILHA_geek_resenhas

E por falar nos personagens da trama, aqui temos todos os estereótipos que você já encontrou em outras produções por aí; mas todos muito bem trabalhados, e vez ou outra, até mesmo, com um certo desenvolvimento; muito puxado pelo casal Cal(Adam Campbell) e Chloe, que rouba a cena e os corações dos telespectadores conforme o desenrolar da trama.

A doce Madison(Cassandra Sawtell) também é uma ótima adição a trama, e nos cativa desde os primeiros episódios, e de forma direta ou indireta, ela auxilia a diversos personagens romperem mais camadas, e mostrarem um maior desenvolvimento.

As mortes geralmente ocorrem, de uma a duas por episódio, e podem vir de todo lugar, desde uma flecha a longa distância que te perfura em uma árvore, ou uma facada traiçoeira de seu próprio companheiro.

Todos são suspeitos, e todos são vítimas em potenciais; e a medida que o tempo passa, percebemos também grandes segredos que podem ruir famílias em meio a toda essa carnificina, e que elevam ainda mais a tensão. 

A série fora reprisada outras vezes no SBT, e recebeu o nome de “Ilha de Harper” em outras ocasiões.

 

Harper’s Island lembra muito os slashers dos anos 90, e sem dúvidas, tornou-se o que a série Scream deveria ter sido. Um projeto com uma ótima premissa, um bom desenvolvimento e com um final coerente e contido. Fica a dica para quem não conhece, dar uma atenção a este projeto que está completo no Youtube!


Nenhum comentário:

Postar um comentário