INJUSTICE(CRÍTICA, SEM SPOILERS)


UM REVIEW
DO NOVO FILME ANIMADO
DA DC COMICS!

INJUSTICE(CRÍTICA, SEM SPOILERS)-geek-resenhas

Inspirado no jogo de grande sucesso, Injustice segue os mesmos passos da história original, mas com alterações bem interessantes, e que contribuem para o projeto ganhar uma identificação própria.
Mais uma produção do aclamado selo de animações da DC Comics, e que carrega como marca registrada, grandes referências aos quadrinhos, e adaptações de não só, sagas como a de Injustice: God Among Us, que além do jogo, também possui uma grande série de quadrinhos; além de trazer histórias mais originais como o sucesso Liga da Justiça Sombria: Guerra de Apokolips.

"Injustice conta o que acontece com o Superman qunado sua amada Lois Lane é assassinada por culpa do Coringa. Cansado de vilões pelo mundo, o herói se torna um ditador e luta contra quem ficar em seu caminho. Batman e outros heróis montam uma resistência para conter o tirano kryptoniano, enquanto personagens de outros universos também aparecem para ajudar"

A trama se inicia de forma idêntica ao material que já estamos cansados de ler e jogar, e com aquele requinte gore que somente uma produção Rated-R(proibida para menores de idade) permite entregar. O Coringa desta trama não é o mais belo já feito digitalmente, mas tem os trejeitos que tanto gostamos, e solta até uma risadinha que lembra aquela risada seca e vazia, do famigerado Coringa de Jared Leto, do Snyderverse. Apesar disso, esse Palhaço do Crime inspira muito mais temor por parte de suas ações, e conta com a ajuda da sempre carismática Arlequina; que aqui, rouba a cena sempre que aparece, e possui uma ótima química com ninguém menos, que o Arqueiro Verde. Parece que nosso Oliver tem mesmo uma queda por loiras!

Algo que se deve destacar é o quanto as atitudes de Superman, concorde você ou não, são extremamente compreensíveis na trama; algo que não podemos dizer de Diana Prince, a Mulher Maravilha; que nesta versão do universo de Injustice, é tão vilã quanto o próprio Clark, sendo uma verdadeira erva-daninha no ouvido do Azulão. Ninguém é tão influente nas ações de Clark, do que a Princesa Amazona; e olha que de más influências, a vida do Homem de Aço está cheia; com direito até a uma pontinha de Ra’s Al Ghul. Sim, ele mesmo. O ex-sogrão do Batman consegue até mesmo fazer esse Superman confiar mais em suas palavras, do que na do próprio pai, Jonathan Kent. Realmente com essas amizades, quem precisa de Coringa, não é mesmo Clark?

Claro que o próprio Batman não deve se safar dessa, visto que uma simples conversa entre ele e o Superman, já colocaria panos quentes em toda a situação. Infelizmente por ter uma personalidade muito forte, e uma certa frieza, Bruce não é a melhor pessoa para você buscar respostas durante seu luto. E Clark sofre muito com isso; e mesmo que dizimar dúzias de adolescentes em uma simples festa passe longe de ser o ato mais misericordioso do mundo, é fato que muito do que o Superman faz nos 88 minutos de trama em prol de seu mais novo senso de justiça, poderia ser remediado com um confortante diálogo com seu melhor amigo. Afinal, se ele é tão facilmente influenciável para corromper seu senso de humanidade, seria ainda mais fácil, reforçar toda a benevolência que ele inspira na humanidade.

Um equívoco semelhante ao que testemunhamos em Batman vs Superman: A Origem da Justiça; onde também uma simples conversa bastava para colocar a amizade em dia, mas que ficou totalmente de lado, para termos aquele momento testosterona entre preto e azul; que embora tenha sido uma ótima luta, não foi bem desenvolvida pelo roteiro.

 INJUSTICE(CRÍTICA, SEM SPOILERS)-geek-resenhas

As cenas de luta estão impecáveis, e a trama entrega momentos de arrepiar, com destaque para toda a sequência da explosão de Metrópolis, além dos grandes embates que ocorrem na Fortaleza da Solidão, e nos céus de Smallville. E que final foi aquele? Extremamente emocionante e significativo perante toda a história do Super nos quadrinhos.

O que também me agradou muito no desfecho da trama, foi o fechamento de ciclo que o roteiro de Ernie Altbacker entregou, diferente do Injustice vimos nos quadrinhos, que parece não ter fim, com voltas e mais voltas, e com personagens que nem sabemos de onde vieram; aqui na animação, a coerência vem na frente do lucro, e permite com que a direção de Matt Peters flua, e nos conquiste com um projeto, que a cada fotografia nos surpreende, mesmo que nós já saibamos boa parte do enredo.

Cyborg, Mr. Terrific e Mulher-Gato são partes essenciais da trama, e trazem ainda mais brilho para o belo elenco de coadjuvantes. Outros destaques são os Robins, Dick e Damian; que possuem arcos de desenvolvimento muito bonitos, e que prestam belas homenagens as suas contrapartes nas Hq’s. O destino de Dick irá surpreender muita gente, e se torna parte decisiva na produção.

INJUSTICE(CRÍTICA, SEM SPOILERS)-geek-resenhas

Uma crítica muito bacana que o filme aborda, é a própria violência como parte da essência humana, representada em momentos como quando Superman desarma diversos governos ao redor do mundo, e mesmo assim, o seu próprio país o confronta, pois os interesses nacionais, estavam acima dos interesses da paz. Algo muito profundo e real, além ser um gesto com a assinatura do governo estadunidense.
Com a chegada de Injustice, a DC Comics acerta em cheio ao entregar um enredo cheio de ação, e que ao mesmo tempo nos ensina e emociona; nos deixando com aquela inquietude em nossa mente, que não para de repetir uma pergunta para nós mesmos: quando veremos tudo isso em live action?

Injustice já estreou nos Estados Unidos e deve chegar em breve no HBO Max daqui. O elenco de dubladores originais conta com as estrelas Ansou Mount(Batman), Justin Hartley(Superman) e Laura Bailey(Lois Lane). E a direção do projeto fica com Matt Peters, diretor de Liga da Justiça: Guerra de Apokolips.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário