NÃO OLHE PARA CIMA (DON'T LOOK UP, NETFLIX) #OSCAR2022


NÃO OLHE PARA CIMA;
OU MELHOR, OLHE!
(REVIEW)

Cada vez estamos mais próximos da cerimônia do Oscar, e hoje o assunto será um dos maiores sucessos da Netflix dos últimos anos, Don´t Look Up, ou Não Olhe Para Cima!


NÃO OLHE PARA CIMA (DON'T LOOK UP, CRÍTICA NETFLIX)-GEEK-RESENHAS

"Dois astrônomos medíocres descobrem que em poucos meses um meteorito destruirá o planeta Terra. A partir desse momento, eles devem alertar a humanidade por meio da imprensa sobre o perigo que se aproxima"

 

Escrito e dirigido por Adam Mckay, velho conhecido da Academia, por obras como Vice e A Grande Aposta; Don´t Look Up ou Não Olhe Para Cima foi um dos grandes fenômenos do último ano, e merecidamente conquistou não só uma, como quatro indicações ao Oscar, incluindo o nome na lista principal da noite, na categoria de Melhor Filme.
Com uma abordagem divertida, mas ao mesmo tempo, angustiante; o longa é uma sátira divertida e necessária(urgentemente necessária, eu diria) sobre o que se tornou o mundo nos últimos anos, principalmente com o palanque conquistado por políticos e personalidades extremistas e altamente instáveis.

Desde seguidores do ex-presidente Donald Trump, passando por machistas, terraplanistas, bolsonaristas, negacionistas e afins; a carapuça que Adam Mckay costura, serve para todos eles. A alegoria do negacionismo ao meteoro foi interpretada por muitos como sendo uma espécie de analogia ao negacionismo da pandemia da Covid-19; o que é equivocado, e já foi dito pelo próprio diretor. Segundo ele, o projeto do longa começou a ser elaborado antes mesmo da pandemia assolar o mundo:

“Eu contei uma história sobre como estávamos ignorando o Aquecimento Global, achava muito louco que estávamos diante do maior desafio da história da humanidade, mas mal falávamos disso. E daí, enquanto estávamos achando locações para o filme, a COVID-19 chegou”, Adam McKay.


NÃO OLHE PARA CIMA (DON'T LOOK UP, CRÍTICA NETFLIX)-GEEK-RESENHAS

O que salta aos olhos assim que nos deparamos com Don´t Look Up é a quantidade de estrelas reunidas pela Netflix. Temos desde o divertido Tyler Perry, passando por Jonah Hill, Jennifer Lawrence, e chegando ao patamar de Leonardo DiCaprio e Meryl Streep. Um elenco grandioso, que sinceramente, não é aproveitado em sua totalidade. Principalmente a gigante Meryl Streep, e o queridinho da nova geração Timothy Chalamét, que não recebem o espaço que seu currículo demanda; entretanto, não comprometem ao longa, e sabem como ninguém domar seus personagens, sejam eles um doce e rebelde jovem, ou uma presidente omissa e genocida.

Difícil imaginar uma época melhor para o lançamento de um projeto desta magnitude do que o ano de 2021, pois não podemos esquecer que mesmo com a queda expressiva da popularidade do Modo Trump de governar, foi justamente no começo de 2021, que o Capitólio dos Estados Unidos estava sendo invadido por seguidores devotos do ex-presidente.
Adam Mckay é muito feliz em satirizar não só os políticos diretamente envolvidos na Chefia de Estado, como cutuca populares “heróis de Guerra” e magnatas da tecnologia, que incentivam incursões em territórios desconhecidos a fim de turbinar ainda mais suas gigantes contas bancárias. Qualquer semelhança com os poderosos Jeff Beezos e principalmente, Elon Musk, não é coincidência!

A campanha do longa para o Oscar se escora muito em seu elenco veterano e reconhecido pela Academia, e deve faturar ao menos o Oscar de Melhor Edição ou quem sabe, um Roteiro Original. Don´t Look Up se junta ao divertido Borat 2, como longas que roubaram a cena nas grandes premiações ao somar questões emergenciais a muito bom humor.

A politização não pode ser um empecilho para o consumo de um projeto tão feroz e importante como esse, afinal, todo ato é um ato político. O ato de “politizar uma discussão” é sempre usado com quem sabe que não ganhará essa discussão com fatos, e assim, tem o objetivo de deslegitimar os argumentos de seus oponentes.
Leonardo DiCaprio está impecável como Dr. Randall Mindy, e é dele o discurso mais impactante do longa, e que mergulha o dedo na ferida, nos envergonhando do rumo que estamos levando o mundo; uma crítica inteligente e que lembra a também forte mensagem transmitida por Lana Wachowski no subestimado Matrix Ressurections.

Adam Mckay é um diretor que gosta de inserir o poder que a mídia possui de interferir, manipular e criar o que for preciso para transmitir a sua “verdade”. Seja de forma cômica como em Tudo por um Furo e O Âncora, ou de forma mais ácida como no próprio Não Olhe Para Cima, a lição ensinada é muito séria. E o que a dupla de apresentadores mais insuportável do entretenimento pode produzir, interpretada de forma brilhante por Tyler Perry e Cate Blanchett nos ensina, é de que desrespeito, machismo e antiética nem sempre são mascarados de nossa vista, e as vezes, ele é tão explícito que ao invés de nos incomodar, vira parte de nossas vidas.


NÃO OLHE PARA CIMA (DON'T LOOK UP, CRÍTICA NETFLIX)-GEEK-RESENHAS

Não Olhe Para Cima é a mensagem correta, no formato correto, e que nos incentiva a nos informar, aprender e ouvir mais. Talvez quem mais precise da mensagem do filme, não vá sequer dar ouvidos à ela, mas precisamos torcer para a razão prevalecer, e torcer mais ainda, para quando o meteoro vier, tenhamos alguém que possamos confiar no controle da nossa nave.

O longa está disponível na Netflix. Portanto, corra e assista antes que o mundo acabe!


Nenhum comentário:

Postar um comentário